Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Hotelaria e Turismo PT

Novidades, curiosidades, notícias e tendências. Para opiniões reais sobre hotéis e restaurantes, siga a nossa rúbrica: Viagens a 2!

Hotelaria e Turismo PT

Novidades, curiosidades, notícias e tendências. Para opiniões reais sobre hotéis e restaurantes, siga a nossa rúbrica: Viagens a 2!

Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.

Hospitality ain't a big deal #1

Chamo-me Caio Morais, escravo da hotelaria, brasileiro de nascença mas português de coração, e começarei a rúbrica "Hospitality ain't a big deal", onde pretendo desmitificar toda a aparente complexidade de trabalhar no Turismo e na Hotelaria.

Confesso que até hoje, não o consegui fazer, no entanto, conto alcançar esse objetivo antes de reformar-me. (Tenho 25.)

Até cumprir esse objetivo, fiz algumas promessas:

-Aprender a controlar o riso com Japoneses que veêm fazer o Check-in mas dizem Chicken. Tipo, "Chicken, Chicken" com aquele abanar de cabeça típico dos filmes americanos.

- Parar de contar situações inusitadas do meu dia-a-dia, como daquela vez que um hóspede apareceu-me todo nu em frente á recepção as 3horas da manhã ou da outra vez em que um hóspede disse que só faria o Check-out quando tivesse o meu número, ou ainda daquela vez em que fiquei 1h34min a ouvir um sermão de um hóspede.

 

Sem dúvida, preciso parar de contar essas (más) experiências.

Nesta rúbrica terão textos e dicas para profissionais da área, e experiências do dia-a-dia de como é fazer parte deste mundo. Deste mundo tenebroso.

 

Aviso apenas que os textos podem conter ironia. Caso, identifique-se com alguma situação aqui relatada, aconselho que deite no chão, agarre os joelhos, comece a chorar e sussure "Chicken, Chicken".

 

IG @Caiologoexisto

Mais textos em noobcheckin.com ✓

RESTAURANTE DE CARNE EXÓTICA EM SETÚBAL: CARNES DO CONVENTO

a melhor vista sobre setubal é da pousada

 A melhor vista sobre a cidade de Setúbal é na antiga Pousada de São Filipe (o restaurante fica lá em baixo, perto do centro histórico)

 

 

Ouvimos falar a 1ª vez sobre este restaurante em Setúbal através de um amigo nosso em meados de 2016. Tinham lá ido para comemorar um aniversário de casamento, adoraram, comeram umas carnes exóticas (carnes de javali, veado e gazela) e entretanto foram lá voltando sempre com boas experiências.

 

Deixaram o aviso de que seria necessário ligar e reserva mesa porque, especialmente ao jantar e muito mais ainda aos fins de semana, o restaurante enche.

 

Em Março deste ano resolvemo-nos a pegar na família, passar por lá numa sexta-feira e experimentar o dito. O tal aviso bateu certo... como não tinhamos reservado e estavam cheios, a experiência gastronómica teve de ficar para outro dia.

 

No fundo, até acabou por confirmar o que já tinhamos ouvido: o restaurante deve ser mesmo bom!

 

Passado cerca de 3 semanas, lá nos resolvemos a marcar mesa e fomos a caminho das Carnes do Convento!

...ahhhhh o trocadilho é quase forçoso mas vamos deixá-lo para o fim.... 

 

 

 

AS CARNES DO CONVENTO

 

Queremos começar por dizer Setúbal é uma cidade que adoramos e que fica sempre no nosso imaginário colectivo pelos óptimos restaurantes de peixe, que abundam na cidade, pelo famoso choco frito ou pelo viciante moscatel de Setúbal.

 

Ainda não nos tinha passado pelas “mãos” um bom restaurante de carne. Enfim, temos de sair mais...

 

O restaurante é pequeno (mesmo...). Dará talvez para umas 30-35 pessoas e isso acaba também por explicar o porquê de estar frequentemente cheio.

 

O ambiente é muito acolhedor e informal, diria até que com um ligeiro toque romântico. É uma excelente sugestão para quem quer um restaurante central em Setúbal, de ambiente selecionado e com uma forte apetência para boas carnes – o nome também não engana, especialmente carnes exóticas e porco preto.

 

Os funcionários são simpáticos qb, ainda que não muito extrovertidos (e podiam ser mais proactivos nas sugestões de vinhos), mas desde que tenhamos reserva deixam-nos sentir confortáveis e são rápidos e eficientes no serviço.

 

 

A estrela da companhia, a carne, não desilude! O restaurante divide as opções em 4 “métodos” principais:

  • as carnes grelhadas no carvão,
  • as espetadas,
  • as carnes na pedra,
  • e os fondues.

 

Experimentem o javali ou o misto de javali e veado em fondue e vão ver que já não querem mais nada!!! A carne na pedra também é uma boa opção, mas os molhos poderiam ser melhores, diferentes, sei lá...

 

carne na tábua - restaurante carnes do convento e

 Tábua de carnes grelhadas a carvão no Carnes do Convento

 

 

É muito importante reservar com tempo (e ter alguma sorte). Além do javali e do veado, pode experimentar a gazela e até carnes mais incomuns como carne de bisonte, carne de canguru e mesmo carne de crocodilo!

 

A carta de bebidas não desilude (mas não brilha!) e tem muito por onde escolher, especialmente vinhos de gama média, quer se tratem de brancos, verdes ou tintos (rosé tem pouco).

 

Como não poderia deixar de ser, os vinhos da região de Setúbal estão muito bem representados com vários nomes conhecidos a marcar presença:

  • Palmela VQPRD (bom vinho da casa!),
  • Vale de Judia,
  • Ermelinda,
  • Terras do Pó,
  • Fontanário de Pegões e Adega de Pegões,
  • Periquita,
  • Adega da Floresta,
  • Pegos Claros,
  • Quinta da Mimosa,
  • Herdade de Espirra,
  • Pinheiro da Cruz,
  • Pasmados,
  • Quinta da Bacalhôa.

 

 

 

CONTACTOS E INFORMAÇÃO ÚTIL

 

Morada do Restaurante Carnes do Convento: Largo de Jesus, n. 7  - 2900 Setúbal

 

Site: www.carnesdoconvento.com

Email para reservas: carnesdoconvento@iol.pt

Telefone para reservas: +351 265 233 620 ou +351 934 173 847

 

  • Encerra aos sábados (ao almoço) e ao domingo (todo o dia);

 

  • Estacionamento: está localizado no centro de Setúbal junto ao Convento de Jesus e sabemos as dificuldades de estacionamento aí existentes, mas existe muito perto um parque de estacionamento com capacidade para bastantes carros. Só é pena ser em terra batida.

  

  • Ao jantar, o preço médio por adulto ronda os 16-20€ (dependendo do vinho, claro); 

 

  • Aos almoços está disponível o menu almoço por 7.70€ que oferece o sopa ou fruta, prato principal, bebida e café;  

 

  • As bebidas incluídas no menu de almoço são a água, imperial, refrigerante ou jarro de vinho da casa;

 

  • Os pratos disponíveis no menu almoço são:

- são o prato do dia (vai variando),

- maminha,

- picanha,

- plumas de porco preto,  

- secretos de porco preto,

- bitoque de vaca ou porco,

- cachaço de porco preto,

- bife de vitela ou de frango grelhados,

- alheira de bacalhau / vegetariana,

- lasanha à bolonhesa,

- espetada de porco,

- salada de atum,

- salsicha alemã com ovo (no prato),

- hamburguer com ovo (no prato)

 

 

 

Conclusão:

 

Boa escolha para quem procura um restaurante de carnes exóticas e está perto de Setúbal. As opções de almoço são mais limitadas (mas mais baratas) e ao jantar, pode escolher várias opções de confeção e variedade de carnes. 

 

O ambiente é acolhedor e a localização central com parque de estacionamento adjacente é uma mais valia! Estão recomendados!!!

 

 

cidade de setubal vista de cima

 

São Roque do Pico: uma pequena gema da Ilha Negra do Pico!

A história desta pequena vila na Ilha do Pico é já antiga e remonta a 10 de Novembro 1542.

 

Por ordem do na altura Rei reinante em Portugal Dom João III e por carta de foral (ordem real administrativa para a criação de um concelho) foi criada a Villa Nova de Sam Roque do Pico.

 

 

sao roque do pico - pico acores.jpg

 

 

Passados quase 500 anos desde que veio à existência por direito legal, São Roque do Pico mantêm-se uma vila pequena com pouco mais de 1.300 habitantes, um porto comercial (Cais do Pico) e um enorme legado associado à indústria baleeira.

 

A indústria baleeira foi por muitos anos, directa ou indirectamente, o baluarte não só desta vila mas da própria ilha do Pico e de boa parte das restantes ilhas açoreanas.

 

Prova clara da importância da indústria baleeira e das baleias na história, comércio e cultura locais é a decisão de em 1994 transformar em Museu da Indústria Baleeira uma antiga fábrica de processamento de baleias existente no Cais do Pico, por sinal, o segundo museu desta temática disponível na Ilha do Pico.  

 

 

 

O que Fazer em São Roque do Pico

 

A ilha do Pico é óptima para actividades ligadas à natureza, descanso e mergulho e São Roque do Pico não é diferente.

 

Recomendamos que visitem o centro de mergulho Cowfish em Santo Amaro (Caminho do Portinho) e experimente as várias modalidades de mergulho existentes: mergulho costeiro ao longo da costa e com excursões a todas as ilhas do Grupo Central.

 

Para os mergulhadores mais experientes, também podem experimentar o programa Skin Dive, que são saídas em apneia, e consistem num passeio à superficie ao longo da costa e  - preferencialmente - associado a um dos spots de mergulho costeiros.

 

 

Algumas fotos belíssimas da biodiversidade marinha dos açores:

 

 

 

 

 

Os preços começam nos 30€ p/ pessoa (adulto) e 20€ (crianças).

 

Mais dados através dos contactos:

Pedro Marques Alves tel: +351 919 020 508

Paulo Côrte-Real tel: +351 914 587 121

Ou por email para cowfishdivecenter.pico@gmail.com

 

 

Outra excelente opção de atividade é fazer uma visita ao conhecido Museu da Industria Baleeira!

 

 

 

O Museu da Indústria Baleeira em São Roque do Pico

 

O museu abriu em 1994 e mostra as antigas máquinas de processamento, caldeiras, depósitos de óleo, fornalhas  e vários outros instrumentos, explicando como foram utilizados para realizar a caça e transformação industrial da baleia (com tanto sucesso que a baleia esteve à beira da extinção e é hoje uma espécie protegida).

 

É engraçado porque à primeira vista, este museu não se assemelha mesmo a um museu. Por fora ainda encontramos o nome da antiga fábrica que agora alberga o museu:

 

Fábrica de Óleo, Farinhas e Vitaminas das Armações Baleeiras Reunidas Lda,

- operou entre 1946 e 1984 -

 

O cais em frente à antiga fábrica de caça à baleia, que é usado por pescadores locais, é onde os passageiros podem encontrar um serviço de ferry entre ilhas para as ilhas vizinhas, incluindo a ilha de São Jorge.

 

 

Imagens do Museu da Indústria Baleeira em São Roque do Pico, Pico - Açores

  

foto do museu da industria baleeira em sao roque d

museu da industria baleeira em sao roque do pico -

 museu-da-industria-baleeira.jpg

foto de fornalha para industria baleeira - museu d

 

 

 

Morada e Contactos do Museu da Indústria Baleeira

 

Rua do Poço 9940-361 - São Roque do Pico, Pico - Açores

Telefone: +351 292 642 096

Email: museu.pico.info@azores.gov.pt

Website: http://www.azores.gov.pt/Portal/pt/entidades/pgra-drcultura-mrp/  

Coordenadas do Mu: 38°31'46.5"N 28°19'20.0"W

 

 

Onde ficar em São Roque do Pico

 

Adoramos a Aldeia das Adegas! Aqui ficam algumas imagens e os contactos deste belo resort.

 

 

Site oficial da Aldeia das Adegas.

Preços desde os 60€ por quarto e por noite em época baixa (Novembro a Abril), desde os 80€ em época média (Maio a Junho) e desde os 100€ em época alta (apt de 15 Junho). É claro que consoante a ocupação, o preço pode subir ou descer ligeiramente.

 

 

 

Sem dúvida, um local fabuloso a visitar em Portugal, especialmente se adora a natureza, o mar e a nossa história!

Será este o quarto de hotel mais caro do mundo? Royal Penthouse Suite no Hotel President Wilson, Genebra – Suíça

Vista da Royal Penthouse Suite para o Lago Genebra

 Uma vista inacreditável sobre o Lago Genebra

 

 

Ficha técnica da Royal Penthouse Suite no Hotel President Wilson, Genebra - Suíça

 

País: Suíça

Cidade: Genebra

Cadeia Hoteleira: StarWood Hotels & Resorts, detida pela Marriot International

Hotel: Hotel President Wilson, a Luxury Collection Hotel

Piso: 8º piso, o mais alto do hotel

Preço:  +60.000 Euros por noite

Quarto: Royal Penthouse Suite

Dimensão da Área Interior: 1680m2

Dimensão da Varanda: 120m2

Hóspedes: máximo 12

Quartos: 12

Casas de Banho: 12

Zonas de Refeição: 2 áreas diferenciadas

Sala de Ginástica: 1

Sala de Reuniões: 1

 

 

Por muito que procure na Europa ou mesmo no Mundo, dificilmente encontrará uma suite maior, mais cara ou mais luxuosa que a Royal Penthouse Suite!

 

 

É difícil saber se este é ou não o quarto de hotel mais caro do mundo, mas é mesmo muito provável que o seja. 

 

Esta suite é famosa não simplesmente pelo seu tamanho, mas por todas as comodidades que oferece aos seus hóspedes especiais e em particular pela vista imaculada e sem rival sobre o lago Genebra.

 

Para hóspedes que podem dar-se ao luxo de pagar mais de 60.000 euros de estadia por noite (e muitos ficam por várias noites), a segurança é um dos pontos mais importantes e sensíveis e também nesse ponto não ficamos desiludidos. Apesar de a Starwood não entrar em pormenores, a indicação de que esta suite tem o nível máximo de segurança (entre outras coisas inclui vidros à prova de bala) não é de todo inesperada.

 

 

Sendo minimamente normal encontrar os amenities comuns, como o telefone, ar-condicionado, cofre dentro do quarto – ainda que não um cofre comum..., mini-bar, amenities da casa de banho de marca Hermès, alguns dos destaques desta fantástica suite são mesmo de cortar a respiração:

 

  • Piano de cauda da Steinway para dar largas à sua criatividade musical, ou simplesmente contratar um fabuloso pianista para uma noite excepcional;
  • Sistema de home cinema da Bang & Olufsen de 103 polegadas, para ir ao cinema sem sequer sair do hotel;
  • Mesa de bilhar da Brunswik para descomprimir de um dia de reuniões;
  • Janelas à prova de bala, nunca se sabe nos dias de hoje;
  • Elevador privativo para a suite, para uma acesso mais rápido;
  • Diversos sistemas de segurança como alarmes e câmeras, porque a segurança é muito importante;

 

 

Além de todas as questões práticas, a decoração desta suite é extremamente rica em detalhes, com várias obras de arte, uma sala de reuniões para os habituais clientes VIP e uma varanda enorme com fabulosa vista para o Lago Geneve.

 

A Royal Penthouse Suite é tão especial que nem sequer se encontra disponível para reserva online e mesmo após enviar um email a solicitar preços e disponibilidade, espere ser bombardeado com perguntas e mais perguntas (a este nível, é provável que seja a sua assistente ou secretário a ser bombardeado).

 

 

 

Imagens da Royal Penthouse Suite do President Wilson Hotel

 

 

  

 

Quer reservar a Royal Penthouse Suite?

 

Antes de mais, parabéns pelo bom gosto!

Pode saber mais sobre esta suite aqui ou pode ligar para o seguinte contacto (já agora, diga que vai da nossa parte): +41 22 906 6666

Menus com IVA diferente - Saiba como aplicar!

contas sobre IVA - batata em equilibrio sobre calculadora

 

 

Aqui está um tema menos comum no blog, mas após vários pedidos resolvemos publicar aqui um artigo para vos ajudar a saber aplicar iva em menus com produtos diferentes.

 

O IVA na restauração tem vários níveis de taxação e é necessário ter algum cuidado e análise, porque dependendo da forma como apresenta e cobra o menu no seu restaurante ou café, pode ter de discriminar as diferentes taxas de IVA.

 

Ou seja: tem de descriminar os produtos com diferente IVA e fazer a sua proporção e a isso chama-se aplicação de IVA com taxas diferenciadas, ou então optar por aplicar um valor de menu na sua totalidade e cobrar tudo a 23% de IVA a que se chama aplicação de IVA a taxa regular!

 

Parece difícil de entender? Não é nada. Vamos lá explicar de forma prática como pode aplicar diferentes taxas de IVA nos menus do seu restaurante:

 

 

Menu de Restauração com produtos de diferente IVA e vendido com taxação diferenciada

 

Exemplo de valores e IVAs para um “pack” Menu do Dia

 

Primeiro, temos de achar o valor unitário da composição do menu do dia:

  • Prato do dia: 12 € com IVA a 13%
  • Refrigerante (Ice-Tea, Coca-cola, Fanta ou outro): 2,5€ com IVA a 23%
  • Café: 0,75€ com IVA a 13%
  • Total do Menu do Dia: 15,25€ (já com IVA incluído em taxa diferenciada)

 

 

Valor em “pack” menu do dia: 11€

 

Para achar o proporcional e aplicar a taxa diferenciada, soma-se o valores ao mesmo IVA (neste caso o do prato e do café), que é de 12,75€ sobre um valor total de 15,25€ = 83,6% do valor total é taxado à taxa intermédia de IVA de 13%. Dá 1,66€ de IVA a 13%.

 

O valor dos componentes de IVA a 13% (apenas o refrigerante) é de 0,58€ (23% de IVA sobre os 2,50€).

 

Assim, o valor total a pagar ao estado em IVA seria de 2,24€ (1,66€ + 0,58€) e o valor real s/ IVA seria de 13,01€ (15,25€ – 2,24€).

 

Este é o caso em que o responsável decide fazer a aplicação com taxas de IVA diferenciadas. Mas no caso de querer simplificar e desde que o(s) produto(s) seja(m) vendido(s) em pack, também se pode aplicar o IVA na sua totalidade ao valor regular de 23%.

 

Desta forma e sobre o preço do menu de 15,25€ (que é a base tributável), bastaria retirar 3,51€ (23% de 15,25€) para se obter o montante a devolver ao estado referente a IVA. Neste caso, o valor real sem IVA deste menu seria de 11,74€ (15,25€ – 3,51€)

 

menu almoco e iva diferenciado ou de taxa regular

Este menu pode dar-lhe mais ou menos lucro mesmo que o venda ao mesmo preço... 

 

 

 

Até aqui tudo fácil, certo?!

Isto depois complica-se um pouco com a diferenciação entre fornecimento de produto com ou sem prestação de serviço (exe: um takeaway faz a prestação de um produto sem a prestação de serviço, enquanto que um restaurante presta o serviço e fornece o produto).

 

Para saber mais sobre estes pormenores, pode consultar este artigo sobre as alterações à lei do IVA da restauração que publicamos em 2016, ou então consultar o pdf da AHRESP que também explica de forma muito clara como aplicar o IVA nos serviços  de alimentação e bebidas.

AMOMA.com – Opiniões e Informação sobre Quem São!

Temos tido aqui muitas perguntas sobre a Amoma, por isso, aqui vai!

 

Desde que se estreou no seu lançamento no mercado em 2014 a agência de viagens online Amoma sempre levantou suspeitas.

 

É fácil perceber o porquê da desconfiança!

 

Um recém-entrado no mercado das OTAS (agências de viagens online) que rapidamente aparece muito bem posicionado em alguns dos principais meta-search mundias como a Trivago, Kayak ou Skyscanner, levanta sempre algumas suspeitas.

 

Maior suspeita, pedidos de opiniões e informações sobre a Amoma se levantaram quando o mercado começou a verificar que de forma sistematica a Amoma apresenta tarifas mais baixas que as principais referências neste mercado online, como são a Booking.com, Expedia, Hotels.com, TravelRepublic ou Orbitz.

 

 

amoma logotipo

 

 

Então quem é a Amoma?

 

A Amoma é uma agência de viagens online com aparente ligação à antiga Olotels e Planigo. A Planigo e a sua empresa mãe QCNS faliram em 2010 e a Olotels que deu uma de “David Copperfield” e desapareceu em 2014...

 

Referências:

 

 

 

 

Como é que a Amoma tem preços mais baratos?

 

O modelo de negócio da Amoma é receber preços directamente de Tour Operadores com distribuição online como a Hotelbeds / BedsOnline, Abreu Online, MTS / OTS, Miki, GTA, Tourico ou Expedia.

 

Estes operadores recorrem a alguns “truques” (sim, também são uma parte do problema#) e contratam preços estáticos (as tarifas FIT, acrónimo de Fully Independent Traveller), mas depois alimentam a Amoma e outras OTAs com esses preços, que por vezes são mais baixos que os preços de venda ao público (PVPs) encontrados online em até 25-30%!

 

Estes operadores normalmente recebem estes preços descontandos, com o racional de que eles apenas são distribuidores dos mesmos para outras agências de viagens e/ou outros operadores, logo, os 25% de desconto servem para que esse operador retenha uma % do valor e passe o restante através da cadeia de distribuição até que o valor de venda ao público seja igual ou superior aos 200 €.

 

Infelizmente, muitos operadores exclusivamente online ou híbridos (com capacidade de distribuição online e offline) utilizam estes preços FIT para alimentar directamente as agências online e ainda pior, sem colocar o markup correcto.

 

Exemplo:

 

 

Fiz uma pesquisa por um hotel de 4* em Praga e após alguma pesquisa fiquei inclinado para o Hotel Grand Majestic Plaza (fica muito perto da praça da cidade velha).

 

A data escolhida foi de 02 a 05 de Agosto, 2 pessoas, e os preços que encontrei na Trivago exemplificam o que se passa no mundo da distribuição hoteleira...Assim já é mais fácil perceber o porquê dos grandes descontos online.

 

 

Na Trivago, estão vários preços disponíveis que são mais baratos que na Booking e no próprio site do hotel. 

trivago precos mais baratos que no site do hotel

 

 

 

 Na Roomdi (parte da Traveltool, do grupo Logitravel, mais uns depois da 7ideas):

 

roomdi preco mais barato via trivago.png

 

  

 

Para não existirem dúvidas de que a Roomdi é mesma a Traveltool / Logitravel:

 

 roomdi pertence a traveltool logitravel

 

 

As contas até nem são difíceis de fazer:

BAR Flexível  = 200 € (PVP para estadia de 1 noite, encontrado no site do hotel ou na Booking)

Tarifa FIT = 150 € é o preço dado a um operador (200 € - 25%).

 

O tour operador faz um markup de +10% sobre os 150€ (150 € + 10% =  165€) e envia para um site (OTA) que coloca +15% de comissão =  189,75€ PVP.

 

Ora se o site do hotel vende a 200 € e na internet, um operador vende a 189,75 €, é muito provável que a compra aconteça fora do site do hotel (toda a gente gosta de poupar)...

 

Agora que já sabemos porque isto acontece e para não nos desviarmos muito do tema, vamos olhar um pouco para o perfil dos gestores da Amoma.

 

 

 

 

Porque é que a Amoma não é um negócio sustentável

 

Então se eles estão a receber tanto tráfego e garantem tantas reservas - o que é um facto indesmentível, porque razão são um negócio insustentável???

 

Boa pergunta :)

 

É que a grande maioria do tráfego deles vem directamente do seu posicionamento em Metasearchs – principalmente na Trivago (imagem 1 e 2), logo é tráfego pago, ao contrário do que acontece quando alguém pesquisa directamente no Google e encontra o seu site, ou melhor, quando volta ao seu site porque já o conhece.

 

Como recebem uma comissão média de 10-12% sobre as reservas confirmadas e os custos para estarem presentes na Trivago são entre 7-8% no caso deles (porque investem dezenas milhões de euros), é fácil perceber o que poderá / irá brevemente acontecer caso continuem com este modelo de negócio (é claro que o desejo deles é ir agarrando os clientes e torná-los clientes leais, mas não esquecer que o cliente foi primeiro ao metasearch...).

 

Caso continuem assim, vão acabar por implodir como a Planigo e a Olotels, que os predecederam!

 

 

Imagem 1

62,48% do tráfego total é de referrals. Os referrals (a verde) são a grande maioria do trafego e vem maioritariamente de sites tipo metasearch. 

 

similarweb analise do site amoma - fontes de trafe

 

 

 

 

Imagem 2

Os principais "fornecedores" de tráfego são metasearch como a Trivago, TripAdvisor ou HotelsCombined.

 

amoma maioria do trafego vem de trivago meta.png

 

 

 

 

Em conclusão

 

Seja a Amoma, Roomdi, 7ideas ou qualquer outra, estas agências de viagens online são muito suspeitas e baseadas num modelo de negócio que esconde o “sol com a peneira”.

 

É verdade que toda a gente tem de ganhar a vida, mas será preciso mesmo mais explicações para perceber que mais dia menos dia, estas “empresas” tendem a fechar as portas?

 

Depois de várias falências, sempre com os mesmos prejudicados (hotéis, clientes e operadores honestos), seria bom que todos aprendessemos depressa a lição.

 

 

Abraço

João

 

 

 

Notas.

 

Este post não pretende dar a entender que a Amoma, Roomdi ou qualquer outra empresa aqui mencionada conduz o seu negócio de forma ilegal ou propositadamente ilícita. Ainda assim, pretende-se chamar a atenção para aquilo que se considera um comportamento de risco.

 

# Muitos tour operadores baixam markup não porque isso esteja na sua génese, mas porque tem de sobreviver e caso não o façam, não alimentam muitas destas agencias de viagens online que depois acabam por (num processo automático) selecionar outros fornecedores i.e. tour operadores.